quarta-feira, 5 de agosto de 2009

VLP



BNDES libera R$ 27 milhões para GDF começar obras do VLP

Investimento irá permitir início da primeira fase do Veículo Leve sobre Pneus, que irá ligar por meio de corredores exclusivos para ônibus Gama, Santa Maria e municípios do Entorno Sul

O GDF assinou contrato de empréstimo com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no valor de R$ 27 milhões que irá garantir o início das obras do Veículo Leve sobre Pneus (VLP). O acordo foi firmado nesta quarta-feira (5) entre o governador José Roberto Arruda e o diretor de Inclusão Social e Crédito do BNDES, Élvio Gaspar. O VLP é um dos principais projetos do programa Brasília Integrada e irá ligar Gama, Santa Maria e municípios do Entorno Sul por meio de corredores exclusivos para ônibus. O valor total da obra é estimado em R$ 600 milhões e deverá atender cerca de 600 mil pessoas por dia.

O novo empréstimo é o segundo assinado entre GDF e BNDES em menos de um mês para investimento em melhorias no transporte público no DF. No dia 23 de julho foi feita uma parceria no valor de R$ 260,3 milhões para a compra de 12 novos trens do metrô e para a modernização do sistema de sinalização e controle da frota atua.

Segundo o governador, outros R$ 10 milhões do governo já estão destinados para o empreendimento nesta primeira fase. A única pendência, atualmente, é a liberação da licença de instalação, emitida pelo Instituto Brasília Ambiental (Ibram), que permitirá o início da primeira etapa do projeto. Assim que o documento for liberado, a Secretaria de Obras entra em ação. “A obra já foi licitada e os contrato assinados. Em breve as máquinas estarão trabalhando”, disse Arruda.

A execução da segunda etapa depende de empréstimo de R$ 300 milhões, em negociação com a Corporação Andina de Fomento (CAF). A obra deve levar cerca de quatro anos para ser concluída. Ela será o terceiro eixo de um sistema construído para integrar as cidades do DF, somando-se ao eixo Sobradinho/Planaltina e à Linha Verde, que irão ganhar vias marginais nos dois sentidos, corredores exclusivos para ônibus, passarelas e ciclovias. Ambas já iniciaram as obras.

O projeto VLP prevê ainda linhas de ônibus expressas (sem interrupções) ou divididas em estações de embarque e desembarque, sendo que algumas estarão integradas ao metrô e ao Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), na W3 Sul. As faixas exclusivas totalizarão 25,9 km. Os usuários utilizarão ônibus modernos, articulados e monitorados por um centro de controle operacional, similar ao que garante a segurança operacional do metrô.

VLT na W3

Este não é o único projeto que beneficiará o transporte no Distrito Federal. O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) é uma solução encontrada pelo governo para reduzir o número de ônibus e carros nas ruas da capital federal. Em junho, o governador foi até Montpellier, na França, conhecer o sistema e assinar uma parceria no valor de 350 mil euros (cerca de R$ 980 mil) com uma empresa da cidade e a Agência Francesa de Desenvolvimento para parceria técnica na construção do VLT.

Na primeira etapa, será construída a linha que começa no terminal da Asa Sul e vai até o Brasília Shopping, prevista para terminar em um ano. A segunda fase será a ligação do Aeroporto até o final da Asa Sul, com previsão de término em 2013. Existe ainda a possibilidade de extensão do VLT ligando o Memorial JK à Esplanada.

A construção do VLT deve começar logo que for assinado o empréstimo de 140 milhões de euros (cerca R$ 390 milhões) com a Agência Francesa de Desenvolvimento. A expectativa é que a assinatura seja em setembro, quando o Presidente da França, Nikolas Sarkosy, visita o Brasil.

Linha Verde e metrô

Outro grande passo para melhoria do transporte urbano é a construção da Linha Verde. Os cerca de 140 mil veículos que transitam diariamente pela Estrada Parque Taguatinga (EPTG) ganharão vias marginais nos dois sentidos, um corredor exclusivo para ônibus e asfalto novo. Quatro viadutos, 17 passarelas e um ciclovia em toda extensão da via também vão integrar o trecho de 12,7 quilômetros entre a entrada de Taguatinga e o acesso à Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA).

O metrô também passará por mudanças, principalmente na frota, que será ampliada. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) concedeu R$ 260,3 milhões para expansão e modernização do transporte. O valor será usado na compra de 12 trens de quatro carros cada e investimentos na modernização do sistema de sinalização e controle da frota atual, composta por 20 trens.

Com as mudanças, a expectativa é que o sistema metroviário possa atender 300 mil passageiros por dia, o dobro da demanda atual. Serão 49,2 km de extensão, 34 estações e frota de 32 trens.

Sinval Neto - Agência Brasília


Depois do VLT, GDF concluiu empréstimo com BNDES para a construção do VLP, com corredores exclusivos para ônibus entre Gama e Entorno Sul
Foto: George Gianni

2 comentários:

Jean Carlo disse...

ESPERO QUE O ENTORNO SUL FAÇA PARTE DO PROJETO LIGANDO DE BRASILIA A LUZIANIA...

QUEM SABE NO FUTURO UM CORREDOR TAGUATINGA LUZIANIA TBM !!!

MORO EM VALPARAISO ESTUDO E TRABALHO NO DISTRITO FEDERAL !!!

alisson disse...

sou cobrador de onibus espero que este onibus gigantesco não faça com que perda meu emprego